13 de agosto de 2012

O que não acontece.


Eu nunca entendi essas coisas que os pais falam quando somos crianças que precisamos planejar nossa vida. 
Bem, pelo menos meus pais me diziam isso. 
Mas mesmo sem entender, criei metas pra minha.
Eram mais ou menos assim:
Aos 23 anos eu conheceria o homem da minha vida, casaria aos 25 e aos 27 teria um casal de gêmeos. Aos 30 adotaria uma menina e, com certeza, já teria minha casa, um golden e um contrato fixo assinado com a Globo. Além de ter viajado o mundo todo, ter o carro do ano e ser magra.

Tenho 28 anos, moro sozinha com um shitzu, nunca fiz uma novela, já tive 3 "homens da minha vida", minha habilitação venceu em 2007, luto contra a balança todos os dias, conheço o mundo pela internet, trabalho no que aparece só pra me sustentar e fico no vermelho todo mês. 

Vez ou outra me lembro das minhas metas infantis e morro de rir, outras vezes me dá vontade de chorar e sinto pena dos meus sonhos mofados na memória... 
Em que momento me perdi na estrada das metas?
Em qual vida esbarrei que mudou a minha estrada?
Será que parei e não percebi? 
Pra não enlouquecer, crio metas novas, me alimento da minha humilde arte e não desejo mais o luxo de menina mimada.

E quando eu tiver um filho, se tiver, vou dizer pra ele que a meta mais importante a se traçar é abrir os olhos todos os dias.
O resto acontece... Ou não.

(Lara Gay)

9 comentários:

Unknown disse...

Adorei o texto. Às vezes me sinto perdida no mesmo mar de realidade x sonhos.
bjos!
Isabella

Unknown disse...

Uau! Bom saber que não sou a única! Excelente texto ;)

OnlyMyLuAr disse...

A-DO-REI o texto meu anjo.. <3

juliateykal disse...

Uma meia florida, uma meia furada <3

Sara disse...

abrir os olhos todos os dias consciente de que isso somente importa é a maior arte que existe...abandonar sonhos antigos para realizar coisas novas e pequenas alimentam a alma...lindo (verdadeiro) texto!!

Hospício Temporário disse...

Apenas como provocação: seriam sonhos esquecidos, mofados ou apenas expectativas não realizadas?
É uma atenuante para nossas angustias encontrar certas identificações nesse mundo "não tão gigante"!
Abraços.

@mauro_neto95 disse...

Tenho 29, e é isso aí mesmo... rs a cultura sempre tenta nos mostrar a trilha de tijolos amarelo, masa vida pode ser de todas as cores!

A. Le Savoldi disse...

Que linda amiga, achei tão madura e sensível a sua escrita que quase chorei... Lembra algo que desabafei no blog da mamãe, sonhamos tantas coisas e quando vimos nada aconteceu. A verdade é que não podemos esperar tanto, quando esperamos nada acontece, precisamos parar de esperar e viver como se aquele sonho não fosse sonho, daí sim, sem aviso, ele pode chegar. Não é certeza, mas já não esperamos mais. Isso faz toda diferença, e, quando vem os filhos, buscamos realizar os sonhos que não tivemos, mas daí lembramos que eles terão seus próprios sonhos e que o mais importante é viver e tentar preservar uma boa essência. No meu filho eu tento a pureza que perdi, quero protegê-lo de tudo, mas... eu não sei do futuro, temos que estar prontos para tudo, então, prego sobre o amor, aquele que Deus construiu em mim e isso me faz suportar a vida e me dá um motivo a mais pra dizer que, sim, às vezes, sou feliz.

Apaixonada Desconhecida disse...

Ainda vou escrever tão bem quanto você! E como Clarice Lispector, entre muitas outras artistas que se demonstram ser uma ótima pessoa apenas com palavras... <3 Parabéns, amei. - LoveGirl