15 de fevereiro de 2012

És tu, menina travessa

Julga-te, quem não te conhece, pela espontaneidade exagerada
Tu és isso, menina travessa, o que desperta o sorriso no canto da lágrima
Surges do avesso consertando erros sem saber
Sem noção de ser tão anjo vens tropeçando em tuas asas
Desengonçada, barulhenta e encantadora
Caída então aos meus pés, te recrio com mais defeitos
- O que te torna cada vez mais perfeita para mim -
Transformando-te em líder dos momentos que não vivi, vasculho coincidências pra comprovar tanta sintonia
Não encontro porquês!
Abandono tudo então.
E a insônia aumenta em meu sofá de risadas... tão tuas.
As ouço pra dormir em paz
Embalada em teu som meio rouco e agudo. Meio elétrico e choroso. Meio metade e completo.
Encontro-me em teu colo, em desespero, secando restos de carência no teu casaco preto.
Cuidou de mim. Fez-me amada. Sorri sem motivo.
Isso és tu, menina travessa, o que faltava na minha inconstância.

(Lara Gay)

2 comentários:

A. Le Savoldi disse...

Menina travessa, simplesmente humana.
Linda!

Lidiany Schuede disse...

Simplesmente lindo!