3 de abril de 2011

morena


me dê seu tempo em tempo de tê-la, morena
não desespere uma lágrima pra esse momento hostil
és bela em todos os tons
és doce de se querer sempre mais
de qualquer forma
com qualquer pose
me espere ao lado da cama
nós quatro em mãos e na lama
riremos do que se passa agora
morena do sangue que me corre sem saber
somos a família que eu sempre quis ter
nem tente fugir da união que formamos
estás segura em quatro peitos gritando de amor
mesmo no silêncio do que não se sabe agora
depois, no abraço de alívio, a despedida da dor
tudo vai ficar bem na correria desse dia
confia na tua força e na tua garra de mulher
morena, é rara a nossa sintonia
estamos juntas pro que der e vier

(Lara Gay)

2 comentários:

Le Savoldi disse...

que linda!!!

Tem um poema que amo do Alvares de Azevedo com esse mesmo título, depois dá uma olhadinha ;)

beijos blue!
LOVE YOU.

Mônica Bittencourt disse...

Prima, esse texto foi a coisa mais linda que eu ganhei nesse meu aniversario fora de época. Obrigada por ser tão sensível e me emprestar um pouco do seu romantismo neste momento. EStamos juntas e em breve essa dor será passado e estaremos comemorando a vida! te amo!