23 de setembro de 2010

sábado


não entende minha segura insegurança com a flecha na boca
se fecha pra angústia instalada na garganta
me debulhando em palavras tento impedir a partida
.............................................. parte
fico.
com dúvidas e certezas enforcando o meu dia branco
vazio da sua cor e cheio do nosso amor
grossa forma leve de viver nos extremos
quem vai condenar a intensidade de um peito?
menina exagerada debruçada na janela
ameaçando se jogar pela incompreensão de seu impulso
recua medrosa cheia de covardia
corajosa tentativa fracassada
quer ser aceita sem entender o outro ser
não vale um centavo
é só discurso engasgado
dizem...
vive de poesia e não sabe mostrar que ama
morre por isso
mas continua amando

(Lara Gay)

2 comentários:

Bruna Savaget disse...

..e continua amando
e nos fazendo amar..
e rir e chorar..
amo você.

Luciana Vasconcellos disse...

Nossa. Oo Então tá né...
Ahh a arte de escrever!
Disse tudo. =D Parabéns.