a Bela da Branca


Branca de neve embriagada
Uma mesa na madrugada
No primeiro dia do segundo mês

Bela morena isolada
Uma conversa na gargalhada
No momento em que a vida morreu de vez

Recupera uma alma sem pretensão
O sol nasce no calçadão
Alimenta um sorriso vazio
Aconchego nobre num peito frio

Noites enfim sonham em paz
Caminhos tortos não importam mais
A branca encontrou sua bela escondida
Uma voz agora nina a dor adormecida

(Lara Gay)

3 comentários:

Marcelo Mayer disse...

wow!!!! que ritmo!!! perfeito!

Juliana Lohmann disse...

deixa eu ficar pra sempre com a bela e a branca?

Belinha Lopes disse...

Da noite pro dia
No murmurinho de uma agitada padaria
A calmaria.
Do sorriso de uma doce leonina menina
Que um vestido amarelo vestia
E sua tatuagem escondia, as verdadeiras marcas que trazia.
Eis que surge a magia
Pura sintonia
Não sabia que aquela seria a serventia de minhas futuras linhas
Ela sorria e me garantia
Estar na maior alegria
Por conta da alma vazia
Da noite pro dia
Impregnou-se em cada fração dos meus próximos dias
A noite tão logo se pôs, para o dia
E assim a Bela adormecia.

Tecnologia do Blogger.