7 de novembro de 2009

De pés pro alto


"Nos esbarramos em ondas maiores que a razão
Demos as mãos pra não afundarmos na imensidão de todo aquele azul
Voamos sorrindo em um céu aberto com um destino inquieto
Seguimos lado a lado tentando entender o próximo passo
Tudo na nossa frente e tudo embaçado
Me afoguei em sua essência e me ceguei pros seus desastres
Abandonei uma certeza por me perder em seu encanto
No meu canto tão sozinha me encontrei nos seus braços
Prometemos o mundo numa bola de sabão
Reconhecemos o perigo na diferença dos instintos
Colhemos o fruto que regamos com lágrimas
Terminamos em cacos espalhados na areia
Nossos lírios secaram numa varanda fria
Perdemos pétalas que voaram na tempestade
E palavras que ficaram no fundo do poço
Em tempos de paz reconheço que te preciso
Aceito seu perdão que dorme no meu colo
Zelo teu sono acarinhando cicatrizes
Beijo sua face úmida de mágoas
Ponho a lua em seu caminho pra iluminar uma noite sombria
Te dou o silêncio do mar batendo nas pedras
Seu toque delicado
Seu confuso “eu” genial que se mata todo dia
O nascer da sua esperança
A flor que desabrocha
Eu bebo seu sofrimento
Me sufoco no seu caos
Ouço sua risada ecoar na escuridão
Me alivia o peito
Tudo tem seu tempo.
E agora a gente aguarda...
...
De pés pro alto esperando amanhecer"

(Lara Gay)

6 comentários:

Natalie disse...

vc eh uma escritora foda, estou ansiosa para o lançamento do livro!

eh uma delícia ler os seus textos... principalmente com explicações simultâneas!

bj

Marcelo Mayer disse...

amizade poética. compreensão em dialética. prosa retroativa.

belo!

meus instantes e momentos disse...

lindo modo de brincar com as palavras.
Simplesmente, que bonito ler.
Maurizio

Sara disse...

Olá, mais uma vez colocaste aqui palavras todas belas numa mistura sentimental maravilhosa. Já reparaste que no fundo de todas as coisas o amor está presente: seja num livro, num filme, num voar ou navegar...se nos sentimos triste em relação a algo e principlamente a alguém é por que tínhamos amor na causa...o amor move o mundo...Obrigada pela visita...Bons voos de amor azul para ti..bjinhos

Mário Liz disse...

quando eu me vejo em um dia seco e começo a concluir que os sentimentos estão quase extintos ... eis que abro este poema e mudo de idéia.

obrigado pela metamorfose em mim.

Alonso Zerbinato disse...

Pra provar que eu sempre soube que "era azul e voava". Está linda a capa do livro! Parabéns! A minha poesia pra boi dormir está à sua espera...