saudades de que?


saudades de um tempo que não é meu
de lugares que nunca conheci
de animais que nem sei que existem
da risada da velhinha que come pipoca sentada na praça debaixo do guarda sol
saudades da brisa batendo no rosto enquanto eu pesco
saudades do banho na cachoeira pelada
do canto daqueles pássaros exóticos
da felicidade explosiva da namorada que virou noiva
saudades daquelas saias rodadas
das botas e chapéus dos homens
de toda aquela estrada que nunca pisei
saudades da música de fundo
do tema do casal que flerta pela janela
do som dos passos pesados de dona maria
saudades daquele céu azul turquesa
da lua refletindo na água e iluminando a dança das sereias
de contar as estrelas deitada na grama
do berro agudo do silêncio noturno
saudades da criança correndo na chuva
dos pedaços daquela carta rasgada que não escrevi
do garoto jogando bola na lama
saudades de um passado que não me pertence
de uma parte escondida em mim que anseia pela simplicidade de cada dia
que deseja a liberdade do vento e a pausa do momento
saudades de um eu que nunca fui
mas sei que sempre serei mesmo não sendo no futuro.

(Lara Gay)

4 comentários:

Marcelo Mayer disse...

matará essa saudade em outro alguém do passado.

Rodrigo disse...

Muito lindo esse texto, por alguns momentos me senti dentro dele, vivendo, cada palavra me levava ao meu passado e te digo... Eu também senti saudades!

Katrina disse...

Saudade de tudo isso e de tudo o mais

Pequena :) disse...

Saudade do passado, saudade do futuro. Saudade, saudade, saudade... Aperta o coração, expreme e dilata. É um bicho esquisito essa saudade, dói, dói, dói. Dor aquela que é arduamente deliciosa de se sentir. :)

A música do fundo também é ótima. Já ouvi umas três vezes, só depois que abri o blog pra ler o texto novo.

Tecnologia do Blogger.