7 de outubro de 2009

O Diário de Pin


Eu já sinto os primeiros raios do sol me queimando o fuço
Sinto o cheiro de café quentinho e pão com manteiga do vizinho
Ouço o jornal deslizando na porta de entrada
E em cinco minutos sei que chega a empregada
Pego minha bola e levanto da caminha
Faço meu trajeto diário até a cozinha
Bebo minha água e como um pouco de ração
Ai... ai... mais um dia de cão!
Vou no quarto da mamãe dar uma leve espionada
Não entendo porque ela nunca ta acordada.
Dou um salto na cama e lhe dou uma lambida
Ela vira pro outro lado ignorando o meu chamado.
A chave entra na porta, eu começo minha sinfonia
Balanço o meu rabo dando o meu “bom dia”
Mamãe levanta com o barulho, eu me apresso pra brincar
Ela me faz uma festinha, eu mordo seu calcanhar
Coleira no pescoço
O vento no caminho
Damos voltas pela praia
Água de coco no copinho
Pombos se assustam quando ladro
E eu me sinto o rei leão
Um gato passa do meu lado
Corro feito um furacão
Ganho biscoito da velhinha da praça
Depois que sento e faço graça
A noite chega de repente junto com a brisa quente
Ajeito a juba na almofada
De barriga pra cima ganho carinho
Dou aquela espreguiçada
Tá na hora do soninho

(Lara Gay)

3 comentários:

Marcelo Mayer disse...

e uma pilha de revistas para bagunçar

Sara disse...

Que querido!!!
Pin...furacãozinho de amor!!

Pequena :) disse...

Ah, que gracinha! Agora me cobri de nostalgia com saudade da minha pequenina. Adoro o ritmo que você impõe as palavras, Lara.


Estou com vontade de bater papo com você, de novo.