8 de janeiro de 2009

Nosso canto meio agudo


sempre tive a sensação de que essa foto tem uma melodia...

uma melodia bem peculiar, do tipo... um canto meio agudo!

sempre que a admiro, abro um leve sorriso no rosto e me sinto aliviada pra começar meu dia. como se eu buscasse forças nessa imagem, nas risadas, nesse nosso canto.

ouço perfeitamente um sol vindo da juliana, com o brilho tão contagiante que ela carrega dentro de si, um sol de menina mulher que eu vi amadurecer, uma ingenuidade confiante numa amiga conselheira, um sol com respiradas profundas no meio da gargalhada, no estilo juliana de ser.

um lá tão distante da camila, objetiva que só ela, vendo sempre em frente, com os pés no chão. um lá que encara qualquer um que chegar aqui pra magoar uma amiga dela. um lá que fala tudo na cara. um lá que desafia as pessoas, um lá que segura a sua mão e te leva junto aonde quer que ela vá, entre lágrimas ou sorrisos... ela tá sempre lá.

a michelly... tão doce sua risada em dó. um dó que tem muita vida vivida, um dó que te abraça com a maior ternura do mundo, que faz seu coração saltitar só de saber que ela existe. um dó que aconchega mil corações ao mesmo tempo, um dó guerreiro, sonhador, pensativo, mas tão calmo...

lá vem meu ré... sempre voltando de onde partiu! uma risada escandalosa, mas que se arrepende e volta pra rir de novo. e a maioria das vezes segue o mesmo caminho... vamos RÉcomeçar novamente então. um ré que não tem medo de errar, e principalmente, que assume que errou. talvez não seja tão ruim uma risada que rebobina.

nós somos uma música!

uma melodia tão agradável de se ouvir, uma melodia de lealdade acima de tudo. com suas particularidades, mas se completando de algum jeito.

nossa! a gente se completa.

talvez por isso eu busque energia nessa foto toda manhã antes de começar meu dia.

o sorriso no rosto, a nossa melodia tão marcante, as nossas vidas cruzadas, nossa amizade incondicional, nosso amor mais que certo.

nosso sol que pode dar ré, mas ele sempre estará lá... sem dó de si! sem dó da gente.

a gente se ergue, a gente ri, a gente vive... juntas!

vocês são minha melodia cantada por nós mesmas que alegra meu dia a dia.

nosso canto meio agudo, meio desafinado, mas é nosso.

e isso que importa.


(Lara Gay)



4 comentários:

Michelly Barros disse...

pelo momento em que ouvi vc lendo isso pra mim, pelas lágrimas que cairam, pelo nosso amor.

oito deitadinho

kito disse...

suas escritas tao ficando cada vez melhores. tudo que voce escreve eh poema, eh bonita de se ler, eh facil de se emocionar.
a poesia dos amigos eh poder rir e cantar a qualquer altura, nivel, estridencia,... e deles nem se importarem, nao te julgarem, nao rirem por deboche e sim pela graca do momento. uma melodia aguda. :)

Camila disse...

repeat...
repeat...
repeat...
repeat...
repeat...
repeat...
repeat...
repeat...


pra nossa música não parar de tocar ...

Juliana Lohmann disse...

Por que você é tão incrível, hein? Como vc pode ser tão intensa, tão admirável, tão talentosa, tão ALMA, tão sentimento, tão abraço, tão amor...?
Senti suas palavras como um carinho a cada letra que meus olhos registravam, minha saudade aumentou uns 300% depois disso. E olha que ela já tava grande!

Você é simplesmente fascinante... Minha cúmplice!

Te amo. Amo. AMO. AMO! AMO...

Ju.